Carta de crédito imobiliário: como funciona?

Comprar a casa própria e logo realizar a mudança é o sonho de muitos brasileiros. E para transformá-lo em realidade existem três maneiras básicas de adquirir um imóvel.

A primeira é por meio de um financiamento. A segunda forma é por meio do pagamento à vista. E a terceira possibilidade de comprar um imóvel é pelo consórcio, uma espécie de meio termo entre a primeira e a segunda alternativa.

Além disso, é possível obter uma carta de crédito imobiliária, um documento utilizado para quem deseja adquirir algum bem. No entanto, o instrumento não se restringe apenas aos negócios imobiliários. Nesse caso, o cliente contemplado recebe uma carta no valor do bem e vai adquiri-lo por conta própria.

Mas como funciona exatamente a carta de crédito imobiliário? Continue a leitura e saiba mais detalhes.

O que é a carta de crédito imobiliário?

A carta de crédito imobiliário nada mais é que um documento de crédito emitido por um banco ou por meio de um consórcio a pedido de um cliente, chamado de tomador de crédito.

A carta de crédito imobiliário pode ser utilizada tanto para aquisição de um bem quanto para a reforma de imóveis. Em ambos os casos, o tomador de crédito precisa solicitar a emissão da carta de crédito a um banco ou por meio do pagamento de um consórcio imobiliário.

A carta de crédito emitida por um banco funciona basicamente como uma espécie de financiamento direto com a instituição financeira. Por isso, é preciso ficar atento às taxas de juros e às taxas administrativas, uma vez que cada banco possui uma política diferente de cobrança e os valores podem ter uma grande variação.

Já a carta de crédito imobiliário mediante consórcio, é uma opção considerada mais econômica quando comparada com os financiamentos. Contudo, assim como em um consórcio de automóveis, o consorciado pode vir a receber a sua carta apenas no final do plano adquirido. O que não é vantagem para quem tem pressa em adquirir um imóvel.

Transferência de Bens

Como funciona a carta de crédito imobiliário?

O processo de compra de um imóvel é facilitado como o uso de uma carta de crédito imobiliário. Isso porque, quem está vendendo o imóvel, tem a segurança que realmente o comprador tem o valor do crédito e pode efetivamente concretizar a negociação. Basicamente, a carta de crédito imobiliário funciona como o pagamento à vista do imóvel.

No caso do banco ser o emissor da carta de crédito imobiliário, o documento passa a ser uma garantia de que o solicitante tem o dinheiro disponível para realizar a transação. Na carta está especificado o valor máximo e o prazo definido para que as operações de crédito sejam realizadas, algo semelhante a uma data de validade do documento.

Mas o banco emissor fica como proprietário? Depende. Caso a carta de crédito imobiliário seja emitida por meio de um financiamento bancário, então a instituição bancária emissora entra como proprietária do imóvel até que as parcelas do contrato sejam quitadas. No caso da carta de crédito ser obtida no quitamento de um consórcio, o valor está disponível para ser utilizado e o consorciado é o único proprietário.

Já quando a carta de crédito é gerada por um consórcio ainda em aberto, no qual existem parcelas em aberto, a administradora do consórcio se mantém como proprietária do imóvel até que o consorciado finalize o pagamento do plano contratado.

Quais as vantagens e desvantagens da carta de crédito imobiliário?

Ter uma carta de crédito imobiliário no momento da compra de um imóvel pode facilitar todo o processo de negociação. Isso porque, para o vendedor, a carta de crédito significa a garantia de que realmente o comprador tem o valor do imóvel disponível no banco e pode efetivamente realizar a compra desejada. Além disso, para o vendedor o tempo de recebimento do dinheiro é quase como um pagamento à vista.

Contudo, uma das grandes desvantagens de utilizar a carta de crédito é a incerteza, no caso de ser adquirida mediante consórcio. A contemplação pode acontecer a qualquer momento do prazo de pagamento, e se você estiver pagando um aluguel, os custos se tornam bem maiores quando comparados a um financiamento.

Outro ponto importante no caso de carta de crédito imobiliário retirada por meio de consórcios é a possibilidade de falência das administradoras. Por isso, é bom avaliar muito bem as administradoras e escolher uma com boas garantias.

Como obter uma carta de crédito?

O primeiro passo para quem pretende adquirir um imóvel é procurar uma instituição financeira e solicitar a emissão de uma carta de crédito imobiliário.

A dica é realizar uma boa pesquisa de mercado para verificar as taxas de juros cobradas e as taxas administrativas, já que variam de banco para banco. Caso você seja cliente de algum banco, procure conversar com seu gerente para ver quais possibilidades se encaixam no seu perfil.

Mas se você pretende adquirir uma carta de crédito imobiliário por meio de consórcio, fique atento aos planos e suas taxas administrativas. Independentemente da forma, a escolha nunca deve ser realizada de forma impulsiva.

A documentação necessária varia de acordo com cada instituição financeira. De forma simplificada, a documentação necessária envolve documentos pessoais, comprovação de renda e também os documentos referentes ao imóvel.

X Carta de crédito imobiliário

Consórcio, financiamento ou carta de crédito: qual vale mais a pena?

Depende. No caso do consórcio, um grupo de pessoas se reúnem por intermédio de uma administradora autorizada pelo Banco Central, em um sistema no qual cada membro contribui com um valor mensal, como um auto financiamento. Para ser contemplado é preciso ser sorteado ou dar um lance para obter o imóvel antes do prazo.

A grande vantagem do consórcio é que essa modalidade não cobra juros. No entanto, não é uma boa alternativa para quem tem pressa de ter o imóvel próprio ou sair do aluguel, já que a carta de crédito só é liberada via sorteio ou mediante lance conforme critérios definidos contratualmente.

Já o financiamento é uma modalidade de empréstimo no qual o indivíduo consegue o valor a ser emprestado da instituição financeira para efetuar a compra. De maneira geral, o financiamento imobiliário segue três tipo de tabela: Price, SAC e Sacre, variando as taxas de juros e os prazos para pagamento.

A grande vantagem do financiamento é que apesar do imóvel estar alienado à instituição bancária, é possível vendê-lo sem estar totalmente quitado. A desvantagem é a incidência do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e o comprometimento do orçamento, já que o prazo e o valor das parcelas podem se estender por um longo período.

No caso da carta de crédito imobiliário, a compra do imóvel é feita mediante pagamento à vista do imóvel. Sendo a carta de crédito emitida por um banco ou por meio de um consórcio a pedido de um cliente, chamado de tomador de crédito. É uma forma facilitada de adquirir um imóvel.

Seja qual for a alternativa escolhida, a melhor forma de evitar problemas em todas as etapas de negociação é contar com a ajuda de uma boa imobiliária. O processo se torna menos burocrático e mais rápido, e ainda garante que a escolha do imóvel esteja dentro de todas as necessidades do comprador.

Agora que você já está por dentro do que é e como funciona a carta de crédito imobiliário, siga as nossas redes sociais (Facebook, Instagram e Youtube) e fique por dentro de todas as nossas novidades.

Descubra os diferenciais dos 7 melhores bairros de BH.